Sistema Unificado do Processo de Obras – OPUS

Uma das iniciativas mais felizes atualmente no campo de gestão de obras é o Sistema OPUS do Exército Brasileiro.

Segundo o site da Diretoria de Obras Militares o Sistema Unificado do Processo de Obras – OPUS é um sistema informatizado de apoio à decisão que visa suportar as funcionalidades de Planejamento, Programação, Acompanhamento, Fiscalização, Controle, Gerência e Execução de Obras e Serviços de Engenharia de todas as atividades dos macroprocessos finalísticos do Sistema de obras Militares (SOM), tanto no nível executivo quanto gerencial e estratégico.
Nota-se a preocupação sócio-ambiental com o planejamento estratégico das obras militares, a sistematização e desburocratização da gestão das obras e a adoção da convergência BIM+GIS para a implantação dos projetos das mesmas.
No link a DOM informa que este sistema recebeu o Selo Verde Ecolmeia Ouro por causa da redução dos impactos ambientais na gestão de obras militares com a adoção deste sistema. Houve a redução gradativa de itens como celulose, energia, combustíveis e equipamentos com a adoção deste sistema. Conforme informado no referido link, todo papel consumido para emissão de ofícios, plantas, planos diretores e memoriais descritivos, bem como o tempo gasto na produção da informação, foram eliminados e outros drasticamente reduzidos pelo sistema OPUS.
No link é apresentado o que seria este Sistema, sua estrutura organizacional, seus módulos, organogramas institucionais, etc. Excelente para se ter uma ideia da funcionalidade do OPUS.
O vídeo abaixo disponibiliza o momento da entrega do Selo Verde Ecolmeia ao então TC Fitzner, Gerente do Sistema OPUS:
Já no link, pode-se baixar uma apresentação em arquivo pdf de uma apresentação pessoal do Cel QEM Alexandre Fitzner do Nascimento e do TC QEM Washington Gultenberg Lüke à respeito deste sistema.
A importância desta iniciativa do Exército Brasileiro é inegável e serve de exemplo de gestão de obras para todo o Governo Federal. A engenharia de obras públicas necessita de uma ferramenta semelhante a essa para a gestão das obras contratadas e financiadas com recursos públicos. A tecnologia BIM é a convergência natural atualmente de todos os projetos de obras de engenharia. O Governo Federal não pode ficar de fora dessa convergência e precisa se preparar e adotar esta tecnologia.
Para isso, precisa criar um sistema congênere ao OPUS não apenas para o  planejamento estratégico dessas obras, mas para permitir o acompanhamento de todas as fases que os empreendimentos públicos passam desde a concepção do empreendimento, passando pela sua construção, entrega, uso e manutenção.

É nossa responsabilidade, como funcionários públicos, o fomento, disseminação e adoção de tais ideias, para fins de melhoria e modernização das nossas atividades institucionais como engenheiros, gestores e fiscais das obras públicas contratadas e financiadas com recursos públicos.

Eng. Ednilson Oliveira Ferreira
Analista de Infraestrutura do MPOG
Secretaria de Portos/PR
Anúncios