BIM – A EXPERIÊNCIA DO DNIT

No dia 14 de maio de 2015, foi realizado encontro informal entre representantes do Instituto de Obras Públicas (IOP) e a Sra. Paula Passos, Coordenadora-Geral de Desenvolvimento de Projetos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Pelo IOP, estiveram presentes o Sr. Willian Bueno e Silva, Presidente do IOP, e o Sr. Ednilson Ferreira, Diretor de Estudos do IOP. Além destes, esteve presente, ainda, o Sr. André Kuhn, ex-Coordenador-Geral do Desenvolvimento de Projetos do DNIT e atual Secretário da Secretaria de Engenharia e Arquitetura do Ministério Público Federal.

O encontro foi motivado pelas notícias de que o DNIT tem empenhado esforços no sentido da implantação do BIM em seus projetos de engenharia. O IOP, diante dos seus objetivos institucionais de promover mecanismos que estimulem a adoção de boas práticas de planejamento, concepção e implantação de projetos nos órgãos e entidades do Poder Executivo das três esferas de Poder, se viu na obrigação de se inteirar desse processo e expressar seu apoio a essa iniciativa do DNIT.

O DNIT é um órgão muito conhecido na área da engenharia civil pela sua larga experiência na condução sobretudo dos programas rodoviários financiados pelo Governo Federal. Com a bagagem de longos anos com essa experiência adquirida, desde o extinto DNER, o órgão vem procurando se atualizar e se modernizar com a adoção das tecnologias existentes hoje em dia e que estão à disposição no mercado.

A tecnologia BIM é um destes exemplos. No Blog do IOP esta tecnologia vem sendo comentada e pode ser conferida nos seguintes por meio dos artigos recentemente publicados:

BIM – A Modelagem da Informação da Construção
Integração BIM+GIS para Projetos de Infraestrutura
IOP e Exército discutem rumos da Engenharia no âmbito da Administração Pública

A discussão sobre esse assunto teve início com a nomeação à Diretoria-Geral deste órgão do General do Exército Jorge Ernesto Pinto Fraxe, que nomeou o então Coronel André Kuhn, engenheiro do Instituto Militar de Engenharia (IME), com mestrado em licitação e contratos, para o cargo de Coordenador-Geral do Desenvolvimento de Projetos. Desde então começou esse processo de modernização e adoção de novas tecnologias para alavancar os empreendimentos que este órgão tem por função gerir. Com a excelente gestão desenvolvida pelo Cel Kuhn, foi possível desenvolver melhor capacitação aos engenheiros do órgão, com cursos de análise e gerenciamento de projetos, voltados para o domínio das ferramentas CAD, uma vez que, naquele momento, ainda não havia a cultura de análise dos projetos por meio destas ferramentas.

Mas o objetivo maior do Cel Kuhn era a implantação do BIM no DNIT. Durante a nossa reunião, ele nos explicou que o objetivo inicial do curso era a capacitação dos engenheiros do DNIT já na tecnologia BIM. No entanto, durante a fase de planejamento deste curso, chegou-se à conclusão de que seria necessário inicialmente capacitar os engenheiros em ferramentas CAD, que são básicas para o posterior domínio da tecnologia BIM, uma vez que a grande maioria dos engenheiros daquele órgão não tinham o domínio desta ferramenta CAD. Assim, foi necessário voltar o curso para esta ferramenta, enquanto se estava adaptando os editais de licitação com exigências de entrega dos projetos não apenas na forma impressa, mas também como arquivos digitais em CAD para serem analisados. E assim a evolução e modernização do DNIT começou.

Durante nosso encontro, o Cel Kuhn esclareceu que apenas isso não seria suficiente. Ainda era preciso adquirir um pacote de softwares que não fosse apenas de ferramentas CAD e de análise estrutural. Precisava-se de um pacote que já contemplasse a tecnologia BIM. Além disso, naquela época (e não faz tanto tempo assim, estamos falando de três ou cinco anos atrás), alguns engenheiros sequer possuíam computadores para trabalharem e muitos dos que possuíam, tinham máquinas já obsoletas e não comportavam a instalação de sequer uma ferramenta CAD. Ou seja, ainda era preciso melhorar toda essa estrutura física do DNIT para que esta modernização pudesse acontecer. E isso não aconteceria de uma ora para outra. Há um custo financeiro para isso, que também não seria baixo.

Como se pode perceber, o desafio além de ser grande e difícil, seria também demorado e caro. Além de ser necessário a capacitação de todo o corpo de engenheiros daquele órgão, havia a necessidade de reestruturação física e processual de todo o órgão. Mas, de acordo com o Sr. André Kuhn, foi dado prosseguimento à época a todos estes assuntos satisfatoriamente.

A Sra. Paula Passos, atualmente no cargo de Coordenadora-Geral do Desenvolvimento de Projetos do DNIT, complementou as informações dadas pelo Sr. André Kuhn, informando que, após a mudança da Direção-Geral do DNIT, esse movimento não teve continuidade, principalmente por falta de gestão de processos e de fortalecimento da Governança. Mas não resta dúvida de que tal iniciativa foi de extrema importância para a conscientização do corpo técnico deste órgão sobre a importância destas novas tecnologias disponíveis para a implantação das obras conduzidas ali. As sementes foram plantadas. Agora é esperar que ela germine e dê frutos.

Esta experiência do DNIT mostrou-se muito importante por deixar evidenciado a necessidade de modernização da máquina pública. Os profissionais da engenharia precisam estar atualizados e ter domínio das novas tecnologias disponíveis no mercado, principalmente as que otimizam as análises necessárias para se ter domínio sobre o empreendimento que se pretende implantar. Os órgãos precisam estar estruturados com equipamentos com as especificações necessárias para se fazer uso destas novas tecnologias.

A tecnologia BIM é uma tecnologia excelente, mas deve-se ressaltar de que apenas ela não seria suficiente para atender a demanda de tantas obras a serem geridas pelo DNIT, por exemplo. O BIM fornece o necessário para o conhecimento de um empreendimento específico, mas é necessário ter a gestão de todas as obras de responsabilidade de um determinado órgão. Ou seja, há a necessidade de uma plataforma única onde se possa gerir todas essas informações de obras, de maneira a se poder gerenciar todo o conjunto de obra desse dado órgão.

Isto também já existe e vem sendo divulgado pelo IOP em seu Blog. O sistema OPUS do Exército tem essa finalidade. Os artigos “Sistema Unificado do Processo de Obras – OPUS” e “Integração BIM+GIS para Projetos de Infraestrutura” tratam deste assunto. E isso foi levantado pelo IOP durante esta reunião. Tanto o Sr. André quanto a Sra. Paula Passos foram unânimes em admitir que esta ferramenta é fundamental para a gestão das obras de engenharia. E ela vem se mostrando muito eficiente dentro do Exército Brasileiro. Por isso, o IOP defende que este sistema precisa ser trazido para a Administração Pública Federal.

As soluções estão aí. O IOP vem mostrando seus usos e benefícios práticos. Todos os profissionais que vêm se inteirando sobre estes assuntos são unânimes em admitir a importância de ter estas tecnologias à disposição dos técnicos do Governo. Mas é necessário a nossa iniciativa em apresentar ao Governo estes assuntos para não esbarrarmos na falta de vontade política para adotá-los. O exemplo do DNIT reflete isso. E ele não é o único. Outras iniciativas nacionais de adoção do BIM vêm sendo feitas isoladamente em outros órgãos, como, por exemplo, no Governo de Santa Catarina e no Exército Brasileiro. Mas, como já dito, iniciativas isoladas é um bom começo, mas não será suficiente. Precisamos nos conscientizar de que esta modernização é fundamental para a melhoria da nossa própria atividade de engenharia e de que não podemos nos furtar o direito e a responsabilidade em trazê-las para a Administração Pública.

Precisamos agir e essa consciência já está intrínseca no Instituto de Obras Públicas!

Vamos continuar agindo!


Autor:
Ednilson Oliveira Ferreira
Diretor de Estudos do IOP
Eng. de Fortificações e Construções, graduado pelo Instituto Militar de Engenharia – IME
Ocupante do cargo de Analista de Infraestrutura do Ministério do Planejamento
Atualmente em exercício na Secretaria dos Portos
ednilsonof@gmail.com

Anúncios